História

A A

Criada em 11 de fevereiro de 1966 e instalada em 24 de julho de 1966, a Região Episcopal Sant’Ana foi uma das primeiras a serem criadas.
Sua área é de 162 km² e seus limites são: ao Norte pela Diocese de Bragança Paulista e pela Região Episcopal Brasilândia; ao Sul pela Região Episcopal Sé e parte da Região Episcopal Belém; ao Leste pela Diocese de Guarulhos e a Oeste pela Região Episcopal Lapa.

Atualmente possui 61 paróquias, com dezenas de comunidades. A sua Igreja de Referência é a Igreja de Sant’Ana, por razões históricas e pela facilidade de acesso.
Possui nove Setores: Santana, Tucuruvi, Tremembé, Medeiros, Vila Maria, Jaçanã, Casa Verde, Imirim e Mandaqui.

Na época de Dom José Gaspar, visando uma atuação mais eficaz numa cidade que crescia rapidamente, foi estabelecida a primeira divisão territorial da Arquidiocese com a criação no dia 13 de novembro de 1939 dos decanatos (agrupamentos de paróquias) ou vicariatos forâneos e nomeados seus respectivos visitadores.

Essa seria a origem dos atuais setores. Cada decanato tinha um decano’, que hoje chamaríamos de coordenador de setor.
Essa divisão permaneceu até 1963, quando o então Arcebispo, Cardeal Dom Carlos Carmelo Vasconcelos Motta, aplicou o Plano de Emergência da CNBB na Arquidiocese, que foi dividida em seis Setores de Pastoral, que pelo tamanho e população seriam como Regiões.

Foram criados os seis seguintes setores:

• Centro - a cargo de Dom Antonio Alves Siqueira.
• Sul - a cargo de Dom Vicente Marchetti Zioni.
• Norte - a cargo de Monsenhor José Lafayette A. da Silva.
• Leste - a cargo de Monsenhor Romeu Alberti.
• Oeste - a cargo de Monsenhor João Batista de Camargo.
• Interior - a cargo de Monsenhor Heládio Laurini.

Além do setor de Aparecida que ficou sob o encargo de Dom Antonio Ferreira de Macedo.

Essa divisão iria perdurar até 1966, quando o novo Arcebispo, Cardeal dom Agnelo Rossi incentivou a criação das seis Regiões Episcopais: Centro, Norte, Sul, Leste, Oeste e Jundiaí. Colocou na coordenação pastoral de cada uma delas um bispo auxiliar, com todas e faculdades previstas no direito canônico, com jurisdição delegada. Em 1966, Dom Agnelo concluiu o processo de criação da diocese de Jundiaí, instalada em 06 de janeiro de 1967.

Para dom Agnelo a maior graça recebida pela Arquidiocese foi a descentralização do governo arquidiocesano em Regiões Episcopais. Foi nessa ordem a criação dessas Regiões:
Em 1966, foram criadas:

• Região Leste (agora Belém) em 17/07/66.
• Região Norte (agora Sant`Ana) em 24/07/66.
• Região Oeste 1 (agora Lapa) em 04/12/66.

Entre 1967 e 1968 seriam criadas as demais Regiões: Rural (extinta atualmente), Sul (agora diocese de Santo Amaro), Centro (agora Região Sé) e Oeste 2(agora diocese de Osasco).
Com a nomeação de dois bispos auxiliares para São Paulo, foram estes designados para as duas primeiras Regiões episcopais: Dom Bruno Maldaner assumiu a Região Leste e Dom Paulo Evaristo Arns a Região Norte, posteriormente denominada de Sant`Ana.

No início, havia uma única Cúria e um vigário geral. Estava estabelecida uma experiência pioneira no Brasil. As regiões fora subdivididas em Setores.
Com a nomeação de Dom Paulo Evaristo para arcebispo de São Paulo, ele colocou à frente de cada Região um bispo auxiliar e estabeleceu a criação de Cúrias regionais para facilitar o acesso do clero e dos fiéis.

Desde sua Criação, a Região Episcopal Santana foi comandada pelos seguintes Bispos e Padres:

1966-1970 - Dom Paulo Evaristo Arns - Bispo Auxiliar


1970-1975 - Padre Clorário Caimi - Vigário Episcopal

 


1975-1999 - Dom Joel Ivo Catapan - Bispo Auxiliar


1999-2002 - Padre Agostinho Romano Zacchetti O. Cist. - Vigário Episcopal


2002-2005 - Dom Odilo Pedro Scherer - Bispo Auxiliar


2005-2012 - Dom Joaquim Justino Carreira - Bispo Auxiliar

 

 2012 - Pe Zacarias José de Carvalho Paiva (de janeiro a setembro de 2012) - Vigário Episcopal


2012-    -    - Dom Sergio de Deus Borges - Bispo Auxiliar