História

A A

A mais nova das seis regiões episcopais, Brasilândia nasceu depois da divisão da Arquidiocese de São Paulo, resultante de um decreto de Roma de 15 de março de 1989. 

A região foi criada a partir do desmembramento da Região Episcopal Lapa. 

Interessante notar que o nome Brasilândia foi escolhido democraticamente em assembleia, no dia 18 de junho de 1989, na Creche Menino Jesus, na Freguesia do Ó, por expressar uma opção social – os pobres, evidenciados pela má fama do bairro Brasilândia.

O primeiro vigário episcopal nomeado para a Região foi dom Angélico Sândalo Bernardino, ordenado bispo em 1975, e que havia sido bispo auxiliar na Região Episcopal São Miguel até 1989, quando ela se tornou a Diocese de São
Miguel Paulista. Em 24 de junho de 2000, ele se tornou o primeiro bispo da Diocese de Blumenau (SC). 

Dom José Benedito Simão, ordenado  bispo em 25 de janeiro de 2002, assumiu a região em março de 2002. Permaneceu na Brasilândia até junho de 2009, quando foi transferido como bispo diocesano de Assis (SP).

Em fevereiro de 2010, assumiu a função de vigário episcopal para a Brasilândia o recém-ordenado bispo Dom Milton Kenan Júnior, que permaneceu no cargo até novembro de 2014, quando foi transferido para a Diocese de Barretos (SP).

Ordenado bispo em fevereiro de 2015, Dom Devair Araújo da Fonseca foi apresentado como vigário episcopal para a Brasilândia no dia 7 de fevereiro de 2015.

Trabalhar em mutirão sempre fez parte da mística dessa Região. Esse foco na participação popular marca sempre suas atividades.