Dom Odilo a seminaristas: ‘O serviço missionário é constante na Igreja e muito necessário’

A A
“Escuta” foi a expressão que predominou na partilha dos seminaristas na Missão de Férias 2024
Publicado em: 10/07/2024 - 15:30
Créditos: Redação

“Escuta” foi a expressão que predominou na partilha dos seminaristas na Missão de Férias 2024, realizada entre 30 de junho e 7 de julho em paróquias e realidades pastorais da Arquidiocese de São Paulo.

Os vocacionados participaram do encontro de avaliação da atividade missionária na manhã da segunda-feira, 8, no Seminário de Teologia Bom Pastor. A reunião contou com a presença do Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo, de formadores, sacerdotes e leigos das paróquias e pastorais que receberam os seminaristas.

Este ano, a atividade missionária tem como tema “Vós sois todos irmãos e irmãs” (Mt 23,8) e foi inspirada na encíclica Fratelli tutti, do Papa Francisco, e na Campanha da Fraternidade (CF) de 2024, que tratou sobre a amizade social.

Antes do início da partilha, Dom Odilo ressaltou a importância da missão na vida da Igreja em suas diversas realidades. O Arcebispo afirmou, ainda, que a Missão de Férias, realizada há 15 anos, tem sido muito útil no caminho formativo dos seminaristas.

“É preciso levar a Boa-Nova àqueles que estão longe, que estão afastados da Igreja. O serviço missionário é constante na Igreja e muito necessário”, disse, ressaltando que as paróquias devem ser pontos de missão.

O Purpurado comparou o encontro de avaliação com o relato bíblico dos 72 missionários enviados em missão por Jesus e que, ao retornarem, contaram o que aconteceu. Cristo disse para ficarem felizes, pois seus nomes estariam inscritos no céu. “Esse é o maior prêmio do missionário”, afirmou o Cardeal.

Paróquia Sagrada Família/Região Belém

EMPRESTAR OS OUVIDOS

Os candidatos ao sacerdócio rezaram com as famílias e as convidaram para conhecerem a comunidade eclesial.

Alguns seminaristas compartilharam que até pessoas de outras confissões cristãs aceitaram recebê-los em suas casas, como na Paróquia Santo Emídio, na Região Ipiranga.

Um dos grupos de seminaristas, que esteve na Paróquia Nossa Senhora das Dores, na Região Brasilândia, visitou uma tribo indígena na zona Noroeste da cidade.

Na Paróquia Sagrada Família, na Região Belém, os missionários também foram a casas de repouso para idosos e conheceram o trabalho realizado por grupos como a Sociedade São Vicente de Paulo (Vicentinos).

Paróquia Nossa Senhora da Penha/Região Santana

CARIDADE

Na Paróquia Nossa Senhora da Conceição – Santa Ifigênia, os seminaristas tiveram contato com os desafios pastorais da região central da cidade, marcada pela presença de idosos solitários, imigrantes e pessoas em situação de rua. Eles também conheceram mais de perto o trabalho realizado pela Missão Belém, acompanhando os missionários nas ruas.

Paróquia Santo Emídio/Região Ipiranga

Além das paróquias, os seminaristas também acompanharam o trabalho realizado pela Pastoral do Menor, Sefras – Ação Social Franciscana, Amparo Maternal e Fundação Casa. Os vocacionados puderam ouvir testemunhos de pessoas que mudaram de vida devido ao serviço realizado por essas entidades.

Outro local de vulnerabilidade social visitado pelos vocacionados foi a Favela do Moinho, além da Cracolândia.

Pastoral do Menor

PASTORAL CARCERÁRIA

Como nos anos anteriores, houve grupos de seminaristas que acompanharam o trabalho da Pastoral Carcerária, visitando unidades prisionais em Franco da Rocha (SP) e nos bairros de Santana e Pinheiros. Lá, os missionários puderam conversar com as pessoas encarceradas e os familiares que os visitavam, ouvindo seus dramas e levando uma palavra de conforto e esperança em meio às dificuldades.

A atividade missionária nesses diferentes locais também foi marcada por momentos de oração e manifestações públicas da fé, como celebrações, récita do Terço, procissões, meditações bíblicas, catequeses e formações.

Pastoral Carcerária

SAL E LUZ

O encontro de avaliação da Missão de Férias foi concluído com uma missa presidida por Dom Odilo. Na homilia, ao meditar sobre o trecho do Evangelho do dia, que narra a cura do chefe da sinagoga (cf. Mt 9,18-26), o Cardeal sublinhou que nessa ocasião, Jesus também havia feito uma visita missionária àquela casa, levando cura e ressurreição.

Nesse sentido, o Arcebispo exortou os seminaristas a manifestarem a presença de Deus no meio do povo, sendo sal, luz e fermento na vida das pessoas.

(Colaboraram: Fernando Arthur e Karen Eufrosino)