Cardeal Scherer convoca os fiéis a serem ‘peregrinos da esperança’ no Canção Nova Abraça São Paulo

A A
Evento de evangelização reuniu 2,5 mil pessoas no domingo, 23, na capital paulista
Publicado em: 26/06/2024 - 14:15
Créditos: Redação

Com o objetivo de proporcionar aos fiéis um momento de aprofundamento da fé e da experiência pessoal com Jesus, aconteceu no domingo, 23, a 18ª edição do Canção Nova Abraça São Paulo, evento realizado pela Comunidade Canção Nova,na capital paulista.

A edição deste ano refletiu sobre o tema “Tudo pertence ao Senhor”(1Crônicas 29,11) e aconteceu na Quadra do Sindicato dos Bancários,  localizada na região central  da cidade. 

O CN Abraça SP contou com a participação de cerca de 2,5 mil pessoas. A programação, que começou às 8h e terminou por volta das 18h30, foi composta por momentos de oração, palestras, adoração ao Santíssimo Sacramento e a Santa Missa. 

A ESPERANÇA CRISTÃ

O Cardeal Odilo Pedro Scherer se encontrou com os participantes no período da tarde. Em sua reflexão, o Arcebispo Metropolitano lembrou que o evento declara que “queremos bem a São Paulo” e deixa como recado a fé, na certeza de que “Deus habita esta cidade”. 

Lembrando a obra de Santo Agostinho que trata da “Cidade de Deus” e da “Cidade dos homens”, o Cardeal afirmou que esta precisa ser construída, tendo como princípio a cidade de Deus. Neste sentido, Dom Odilo recordou aos participantes que eles são testemunhas do Senhor e enviados a levar o Evangelho à cidade de São Paulo. 

Dom Odilo lembrou ainda do Jubileu de 2025, convocado pelo Papa Francisco, cujo tema é “Peregrinos da Esperança”. O Cardeal citou a Bula de Proclamação do Jubileu, publicada em maio deste ano – “A esperança não engana” – na qual o Pontífice descreve como será a celebração jubliar. 

Passando sobre os sinais da esperança tratados neste documento do Santo Padre– entre eles, a defesa da vida do início ao seu fim natural, a família, o cuidado com a Casa Comum, a solidariedade, a superação dos conflitos –, o Cardeal citou as virtudes da fé, esperança e caridade, declarando que Deus é o Deus da vida e da esperança cristã. Esperança esta que é sobrenatural e orientada pela fé, o que não tira os fiéis da participação na sociedade e das suas responsabilidades com um mundo melhor. Ainda segundo o Arcebispo, essa fé ajuda as pessoas a fazeremainda mais, sem perder de vista a esperança. O Jubileu, portanto, irá auxiliar os cristãos a serem “mensageiros da esperança”, destacou Dom Odilo.

RENOVAR A FÉ NO SENHOR

Depois, o Cardeal mencionou o Evangelho do 12º Domingo do Tempo Comum, em que São Marcos narra o episódio da Tempestade Acalmada. No meio do mar e do vento agitados, Jesus dorme, até que os apóstolos pedem a Sua ajuda. O Senhor então ordena aos ventos e ao mar que se acalmem, e a questão se resolve (cf. Mc4, 35-41). E Jesus então pergunta: “Por que sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?”(Mc. 4,40). 

Dom Odilo destacou que a falta de fé nos faz ter medo, porque contamos com as nossas próprias forças, por isso, as palavras do Senhor aos apóstolos indicam que eles ainda “conheciam Jesus apenas humanamente, talvez como um grande profeta, mas não em sua condição de Filho de Deus”. Partindo desta afirmação, o Arcebispo refletiu, ainda, sobre o poder que tem a Palavra de Deus que criou o mundo, como está descrito no Gêneses, e que era o mesmo que estava com os apóstolos na barca. O Purpurado orientou os fiéis a renovarem a fé no Senhor diante dos medos que têm na vida. “A falta de fé leva à falta de confiança, e a falta de confiança ao medo”, que nos faz perder o rumo. 

Por fim, Dom Odilo citou os medos que os católicos têm, atualmente, em relação à Igreja. Ele recordou que o próprio Cristo declarou que estaria sempre com os seus, e por isso não há com o que se apavorar. Deve-se, sim, recorrer a Jesus e ao Espírito Santo que venham em socorro da Igreja para que cada batizado permaneça firme e não fuja na hora da dificuldade. É importante não se deixar amedontrar pelos falsos profetas que existem hoje. É preciso ter confiança na Igreja e fazer cada vez mais o que Jesus deseja. “Comecemos por nós a superar as coisas ruins e a sociedade será melhor”, conclui Dom Odilo.

Além do Arcebispo de São Paulo também participaram do Canção Nova Abraça São Paulo: Dom Rogério Augusto das Neves, Bispo Auxiliar da Arquidiocese; Padre Wagner Ferreira, Presidente da Comunidade Canção Nova, e os Padres Gilberto Duarte, Bruno Costa e Anderson Marçal, todos da Canção Nova, além do PadreFabio Lima, do clero da Diocese de Guarulhos (SP); e os missionários IroniSpuldaro, Irmã Zélia, Eliana Ribeiro e demais membros da Comunidade Canção Nova.