Paróquia – Casa da Iniciação à Vida Cristã

28/07/2017 - 12:15

Neste ano, celebramos 20 anos da Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para a América e 10 anos da Conferência de Aparecida. A Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para a América foi uma iniciativa de São João Paulo II celebrada entre os meses de novembro e dezembro de 1997, e teve como tema “Encontro com Jesus Cristo vivo, caminho para a conversão, a comunhão e a solidariedade na América”.

Nessa Assembleia Sinodal, os bispos salientam a necessidade de renovar a paróquia para fortalecer os vínculos de comunhão entre todos os fiéis. Reconhecem que a paróquia atravessa, por vezes, dificuldades no desempenho da própria missão, mas ressaltam que as paróquias são chamadas a ser acolhedoras e solidárias, lugar da iniciação cristã, da educação e da celebração da fé, abertas... (Ecclesia in America, 41).

Em 2007, os bispos, reunidos em Aparecida, retomaram o tema da paróquia e sua necessária renovação, que não se concentra em trocar o telhado ou a pintura da Igreja, mas é o de uma corajosa ação renovadora, a fim de que sejam de verdade “espaços da iniciação cristã, da educação e celebração da fé” (Documento de Aparecida, 170).

Mas, por que falar de iniciação à vida cristã em 2017? Porque são muitos os cristãos que não participam na Eucaristia dominical nem recebem com regularidade os sacramentos, nem se inserem ativamente na comunidade eclesial. Sem esquecer a importância da família na iniciação cristã, esse fenômeno nos desafia profundamente a imaginar e organizar novas formas de aproximação deles, para ajudá-los a valorizar o sentido da vida sacramental, da participação comunitária e do compromisso cidadão. Temos uma alta porcentagem de católicos sem consciência de sua missão de ser sal e fermento no mundo, com uma identidade cristã fraca e vulnerável (Documento de Aparecida, 286).

O desconhecimento e afastamento da fé são desafios que nos questionam profundamente; e são desafios, como disseram os bispos, que devemos encarar com decisão, com coragem e criatividade, visto que em muitas partes a iniciação cristã tem sido pobre e fragmentada. Ou educamos na fé, colocando as pessoas realmente em contato com Jesus Cristo e convidando-as para seu seguimento, ou não cumpriremos nossa missão evangelizadora (cf. Documento de Aparecida, 287).

Em nossa Arquidiocese, esses desafios são encarados como urgência no 12o Plano de Pastoral: Igreja – Casa da iniciação à vida cristã. “É necessário desenvolver em nossas paróquias e comunidades, um processode iniciação à vida cristã que conduza ao encontro pessoal com Jesus Cristo”.

É a Igreja em saída missionária, consciente que o ser humano precisa sempre mais de Cristo; e a Paróquia não pode deixar que alguém se contente com pouco, mas que possa dizer com plena verdade: “Já não sou eu que vivo, mas é Cristo que vive em mim” (Gal 2,20) (cf. EG 160).