Os “ícones” do Natal são um sinal de esperança neste tempo de pandemia

A A
Francisco disse que “a festa de Natal nos lembra que Jesus é a nossa paz, nossa alegria, nossa força, nosso conforto.
Publicado em: 11/12/2020 - 14:00
Créditos: Vatican News

O Papa Francisco saudou, nesta sexta-feira (11/12), as delegações que doaram, ao Vaticano, o presépio e a árvore de Natal que enfeitam a Praça São Pedro. A inauguração oficial da decoração natalina está prevista para esta tarde.

“Vocês vieram para a entrega oficial da árvore de Natal e do presépio colocados na Praça São Pedro. Dou-lhes as boas-vindas e agradeço a presença de vocês”, disse o Papa no início de seu discurso, saudando, a seguir a delegação da República da Eslovênia, guiada pelo Ministro das Relações Exteriores, e acompanhada pelo cardeal Rodé e pelo arcebispo de Maribor, composta por outros ministros, embaixadores e personalidades ilustres. “A Eslovênia doou o majestoso abeto vermelho, escolhido nos bosques de Kočevje”, disse Francisco.

O Papa saudou a delegação da Diocese de Teramo-Atri, com o bispo Lorenzo Leuzzi e numerosas autoridades civis.

O monumental presépio de cerâmica vem de sua terra, precisamente de Castelli. Esta tarde, haverá a inauguração destes dois “ícones” do Natal. Nunca como este ano, eles são um sinal de esperança para os romanos e para os peregrinos que terão a oportunidade de vir admirá-los.

“A árvore e o presépio ajudam a criar um clima natalino favorável para viver com fé o mistério do Nascimento do Redentor”, disse ainda o Pontífice.

No presépio, tudo fala de pobreza “boa”, a pobreza evangélica, que nos torna beatos: contemplando a Sagrada Família e os vários personagens, somos atraídos por sua humildade que desarma. Nossa Senhora e São José vieram de Nazaré até Belém. Não há lugar para eles, nem mesmo um pequeno quarto. Maria escuta, observa e guarda tudo em seu coração. José procura um lugar para ela e o menino que está prestes a nascer. Os pastores são protagonistas no presépio, como no Evangelho. Vivem ao ar livre. Vigiam. O anúncio dos Anjos é para eles, e eles vão imediatamente procurar o Salvador que nasceu.

Francisco disse ainda que “a festa de Natal nos lembra que Jesus é a nossa paz, nossa alegria, nossa força, nosso conforto. Mas, para acolher estes dons da graça, precisamos nos sentir pequenos, pobres e humildes como os personagens do presépio”.

Também neste Natal, em meio ao sofrimento da pandemia, Jesus, pequeno e indefeso, é o “Sinal” que Deus dá ao mundo. Sinal admirável, como inicia a Carta sobre o presépio que eu assinei um ano atrás em Greccio. Nos fará bem relê-la nestes dias.

O Papa agradeceu a todos do fundo do coração! Agradeceu também aos que não puderam estar presentes, “assim como aqueles que ajudaram no transporte e na montagem da árvore e do presépio”. “Que o Senhor os recompense por sua disponibilidade e generosidade”, disse o Papa, fazendo votos a todos de “uma celebração do Natal cheia de esperança”. “Feliz Natal”, concluiu Francisco.